Poucas pessoas ouviram falar sobre o Gordini, e poucos devem saber que se trata de um modelo que se tornou bastante conhecido durante o ano de 1958 que foi o ano de seu lançamento, o modelo foi fabricado pela Renault e como não poderia ser diferente, o modelo foi lançado primeiramente no mercado europeu, que na época até os dias atuais é um mercado muito influente no setor automobilístico. O Gordini tinha características bastante diferentes, que fizeram o modelo se tornar muito bem aceito pelos consumidores europeus, que são bastante conhecidos por serem muito exigentes.

Gordini: Propaganda da épocaNo Brasil o modelo também foi lançado durante o ano de 1962, porém a empresa responsável pela fabricação do modelo no Brasil foi a Willys, sendo uma das marcas pertencentes ao grupo Renault e que fabricou o primeiro veículo 100% brasileiro, que foi o Willys Interlagos, modelo que chamou muito a atenção na época, cujo seu design era muito próximo ao do Gordini, sendo possível visualizar muitas semelhanças entre os dois modelos. O modelo chegou com a finalidade de suceder o Dauphine, modelo que foi muito bem aceito entre os consumidores europeus, porém o Gordini contava com uma mecânica bem mais desenvolvida e refinada.

Ambos os modelos tinham 845 cc, porém a mecânica do Dauphine não permitia o modelo desenvolver uma boa velocidade, já o Gordini conseguia desenvolver incríveis 40 cavalos de potência, sendo uma potência considerável para a mecânica de um carro de rua. Lembrando que o modelo também contava com um câmbio de 4 velocidades, o que permitia um bom trabalho do motor, conseguindo desenvolver bem a velocidade, não forçando muito o equipamento. Porém essa era uma das principais diferenças do modelo, cuja marca deixava bem claro que queria construir o mesmo com uma mecânica bastante resistente, para que os consumidores não tivesse nenhum tipo de gasto com manutenção fora de seu "ciclo" de uso.

Detalhes do Modelo 

O Gordini é um modelo sedan com tamanho de 4 metros de comprimento por 1,44 de altura, mesmo parecendo um modelo grande, o mesmo parece não poder acomodar quatro pessoas de porte médio, isso acontece porque só a parte dianteira do modelo já toma um grande espaço, seu porta malas não é tão grande, porém também toma uma boa parte que poderia ser aproveitada para acomodar os usuários do veículo. Porém o modelo tinha uma suspensão de alta qualidade, para manter a estabilidade a empresa resolveu aplicar a suspensão independente para as quatro rodas, sendo um ponto bastante positivo, até mesmo para o amortecimento em estradas de baixa qualidade.

Lembrando que o Gordini recebeu um motor traseiro, visando dessa forma potencializar sua potência e também melhorar na pilotagem, sem contar que muitos consumidores europeus na época, exigia que as empresas criassem apenas modelos com tração traseira. Por ser um modelo que preocupava principalmente com a velocidade e desempenho do motor, o Gordini rapidamente começou a ser elogiado por revistas especializadas, como no caso da revista Quatro Rodas, que em testes feitos com o modelo conseguiu fazer de 0 a 100 km/h em 28,7 segundos, conseguindo atingir a velocidade máxima de 125 km/h. Seus números podem parecer singelos em relação aos modelos atuais, mas para a época, o modelo oferecia uma potência considerável, principalmente se levarmos em consideração seu custo benefício e público alvo.

Renault Gordini

O modelo também oferecia mais alguns benefícios, e com certeza um dos mais elogiados foi sua autonomia, o modelo conseguia fazer em média 8,3 km/l dentro da cidade, sendo um fator bastante interessante para a época, levando também em consideração a potência de seu motor e o câmbio de quatro velocidades, sendo que muitos modelos utilizavam apenas o câmbio de 3 velocidades. Mesmo com vários atributos, o modelo ainda foi alvo de muitas críticas, o que fez com que a marca tomasse algumas providências.

Teste de Resistência

Durante os seus primeiros anos de atuação dentro do mercado nacional, o modelo acabou não se dando bem nas ruas brasileiras, que diferente das ruas da Europa tinha muitas trepidações, e mesmo com a suspensão independente, o modelo acabava sofrendo com alguns locais e principalmente as pequenas trepidações, causadas pelas ruas de paralelepípedo que eram muito comuns na época. Além disso, o modelo tinha uma tendência muito grande de evaporar a água do radiador, o que também se tornava um grande problema, principalmente para longas viagens, onde o proprietário precisava ficar sempre de olho no reservatório de água.

Gordini: Propaganda da épocaAlém disso, em dias quentes o modelo ainda tinha mais tendência para evaporar água do radiador e isso consequentemente virou motivo de piada entre os consumidores brasileiros e principalmente os críticos da época que consequentemente não gostavam do modelo. Com isso o modelo acabou recebendo alguns apelidos, entre esses está o famoso "desmancha sem bater", apelido que arrancou muitas gargalhadas dos críticos da época, mas que se tornou uma preocupação muito grande para a Willys, que consequentemente teve que procurar a solução para esses problemas e falta de adaptação ao clima do Brasil.

Justamente por isso o modelo passou por um teste de resistência durante o ano de 1964, esse teste tinha por finalidade fazer alguns acertos na suspensão do modelo. Sem contar que o Gordini também passou por um teste de temperatura, tendo por finalidade adaptar o modelo as necessidades impostas pelo clima brasileiro.