Para as pessoas que possuem carros com vidros elétricos, que estão cada vez mais comuns, a tarefa de fechar e abrir a janela está bem mais fácil do que nos carros que ainda utiliza o velho sistema de manivela dos veículos. Afinal de contas, tanto os motoristas quanto os passageiros precisam apenas apertar um botão para subir ou descer os pneus, ou seja, nada de ter que ficar rodando manivelas. Mas você já parou para se perguntar como funciona o mecanismo que está por trás, ou melhor, por dentro da porta e que faz com que o vidro faça este movimento?

Como funcionam os Vidros elétricos

Mecanismo de levantamento

Para conseguir ter um vidro que sobe ou desce apenas apertando um botão é necessário que o carro tenha um mecanismo de levantamento que funciona com um pequeno motor que fica localizado na parte interna da porta. Este motor é considerado a peça chave para que os mecanismos funcionem de forma correta. Este motor está ligado a uma engrenagem helicoidal e a diversas outras engrenagens dentadas. Todo este conjunto permite com que o mecanismo crie torque suficiente para levantar o vido. Além disso, estas engrenagens também ajudam o vidro a ficar estabilizado e nivelado, muito importante para fechar a janela corretamente, já que se ela deixar alguma brecha ladrões poderão abrir a porta ou até mesmo a janela mais facilmente.

Mas é claro que o mecanismo não pode se preocupar apena com o sobe ou desce das janelas. O sistema também precisa fornecer segurança para que o vidro permaneça levantado e não caia ou desça quando alguém forçar, o que também facilitaria a vida de um ladrão. A janela só pode se mover ao acionar os botões que ficam do lado de dentro do carro. Para isso, a engrenagem helicoidal no mecanismo de acionamento é fundamental. Grande parte destas engrenagens possuem sistemas de recursos de autotravamento. Ou seja, a osca pode girar a engrenagem, mas a engrenagem não pode girar a rosca: a fricção entre os dentes faz as engrenagens travarem.

Instalação de vidros elétricos

O mecanismo acaba tendo um longo braço, que é fixado em uma barra que tem a tarefa de segurar a parte de baixo do vidro. A ponta do braço pode deslizar em uma ranhura da barra na medida que o vidro sobe. Já na outra ponta existe uma placa que possui dentes de engrenagens engatada a outra engrenagem, que por sua vez é girada pelo motor. O fato curioso em relação a este motor é que ele pode ser encontrado também em diversos carros que possui o levantamento do vidro manual, com a diferença que não existe um motor que possa ser acionado eletronicamente.

Sistema elétrico

É claro que para todo este motor e estas engrenagens funcionarem corretamente é necessário que se tenha eletricidade correndo. Os carros com vidros elétricos possuem uma vasta fiação que corre pela porta, sendo que a quantidade  e a forma como esta fiação está instalada depende sempre do carro e do modelo do veículo, já que em alguns casos fios de outros recursos elétricos do carro também podem passar pela porta.

Motor vidro elétrico

Geralmente, nos sistemas mais básicos de vidros elétricos, os carros apresentam uma fiação que acionada através de um disjuntor de 20 amperes. A energia acaba chegando até o painel de controle dos interruptores e é distribuída para um contato no centro do interruptor de cada vidro. Os contatos que estão instalados em cada extremidade da estão conectados ao terra do veículo e ao motor. 

Existem alguns outros sistemas que são um pouco mais avançados que não utilizam a energia que vem diretamente do motor do carro, mas sim dos módulos eletrônicos do veículo, sendo que geralmente um carro comum possui 25 destes espalhados pela carroceria. Geralmente os carros que possuem muitos controles na porta acabam utilizando este sistema um pouco mais complexo. Até porque estes controle na porta estão bastante comuns, já que em muitos modelos o motorista também poderá controlar as portas e os vidros dos caronas também.