O Brasil é o País que possui uma das maiores frotas de automóveis do mundo. Segundo dados das pesquisas mais recentes, são 21 milhões de veículos por habitante, o que que dá uma media de um carro para cada sete pessoas que vivem em nosso País. Um dos fatores que impulsiona a compra de carros no Brasil é um sistema de transporte público ineficiente. Ou seja, as pessoas não necessariamente teriam dinheiro para manter um veículo, mas preferem comprar um carro e cortar outros gastos essenciais para conseguir se deslocar com mais facilidade pelas grandes cidades que não conseguem sustentar um sistema de transporte público de qualidade.

Manual da blindagem

Portanto, cada vez mais as pessoas passam as horas dos seus dias no trânsito, já que com uma maior quantidade de veículos circulando pelas ruas e investimentos em infraestrutura que não acompanham a alta da demanda. E como as pessoas estão passando mais tempo em trânsito é justamente aí que elas acabam enfrentando alguns problemas relacionados a violência urbana. Os dados apontam: A cada dez assaltos registrados na cidade de São Paulo, pelo menos em um deles a vítima estava dentro do carro. Toda esta violência está fazendo crescer um mercado: o de blindagens de carros.

No ano passado os brasileiros estavam no topo do ranking de país que mais blindam seus automóveis. São mais de 18 mil carros blindados circulando pelas ruas das grandes cidades do país, de acordo com dados estimados. Nunca as empresas que prestam este tipo de serviço faturaram tanto no Brasil quanto no último ano, o que passou a atrair mais investimentos nesta área de empresas multinacionais. Um exemplo do crescimento deste mercado no Brasil é os dados divulgados pela multinacional O’Gara-Hess & Eisenhardt, que possui no Brasil a sua segunda maior fonte de renda, só perde para o contrato milionário que a empresa possui como exército norte-americano.

Um dos grandes motivos deste crescimento de mercado é que anteriormente a blindagem de carro era um desejo apenas das pessoas mais ricas, mas agora esta proteção passa a ser desejo de consumo principalmente da classe média, que está consumindo mais mas que ao mesmo tempo não consegue superar tão facilmente a perda de itens mais caros, como automóveis durante um assalto.

Quanto custa

Mas mandar blindar um carro não é um serviço fácil de ser encontrado. São apenas 45 empresas que prestam este tipo de serviço aqui no Brasil. Além disso, os motoristas realmente precisam preparar os seus bolsos, porque um bom serviço de blindagem não costuma sair por menos do que o preço do próprio carro. Portanto, desconfie apenas de serviços que cobrem muito mais barato por este tipo de serviço.

É preciso também que os consumidores tenham desconfiança de serviços que prometem segurança total apenas blindando os vidros do carro, porque este tipo de segurança não e suficiente para se manter a salvo de tiros, por exemplo.

Vidro de carro blindado

Os consumidores também devem desconfiar de serviços que prometem entregar um carro completamente a prova de balas, já que nenhum dos quatro níveis de blindagem existentes no Brasil conseguem entregar este tipo de serviço. No mundo existem seis níveis de blindagem, mas apenas uma delas, que não é oferecida no Brasil ainda, oferece a chamada blindagem 100% eficiente. Por mais espessos que sejam os vidros, as chapas de aço e os materiais colocados nas portas, sempre há como um projétil penetrar na cabine de passageiros.

Os especialistas concordam e afirmam que aqui no Brasil, quando a pessoa blinda o seu carro na verdade ela não está criando uma célula de blindagem impermeável, e isso deve estar na mente delas quando elas pensarem em fugir de uma situação de risco com a certeza que os tiros que poderão ser disparados contra o carro não vão entrar na cabine do veículo.

Existem alguns pontos do carro que tornam a blindagem mais complicada. Exemplo disso são as colunas e as maçanetas que podem fazer com que o tiro realmente possa adentrar o veículo. Mas também isso não quer dizer que um carro blindado não traga mais segurança para as pessoas. Para que o bandido realmente acerte algum destes pontos é necessário muito conhecimento e perícia, o que é altamente improvável ainda mais em um situação de assalto onde os bandidos geralmente estão mais nervosos que os assaltados.

Como é feito a blindagem

1 – O primeiro passo para iniciar a blindagem é pesar o carro. Geralmente a blindagem acrescenta uns 130 quilos a mais no peso total do veículo;

2 – Os técnicos começam desmontar o veículo completamente, deixando apenas a lataria o motor e o painel. Por isso é importante que as pessoas tenham em mente que a empresa séria para que o carro seja montado de forma correta;

3 – Os técnicos iniciam a blindagem pelas partes planas do carro, enchendo o interior com manta de fibra de aramida;

4 – Nas colunas, junção do vidro com a lataria, nos cantos da porta, atrás da maçaneta e nos pontos de fixação dos espelhos retrovisores são colocados chapas de aço inox;

Linha de blindagem.

5 – As rodas do carro também recebem proteção, uma fina cinta de metal que permite que o veículo ande cerca de 20 quilômetros em velocidade baixa mesmo e for perfurado por alguma coisa;

6 – Os vidros comuns são retirados e trocados por cinco lâminas de vidro comum que são fixadas umas ás outras com um filme plástico. Na parte de dentro existe ainda um outro revestimento, de policarbonato;

7 – O carro é remontado mas antes disso passa pelo teste do chuveiro, onde os técnicos conseguem realmente ver se toda o isolamento da parte interna está de acordo e se não existe nenhum vazamento.

Tipos de Blindagem

Tipos de Blindagem
Nivel Como é feito Preço Grau de Proteção Desvantagem
1 É a menor proteção existente. O vidro tem espessura de 11 milímetros. Parte da carroceria é revestida com 1,5 milímetro de chapas de aço inox, e o restante, com quatro camadas de fibra aramida. O aumento de peso é de 70 quilos. R$ 25.000,00 para um Palio Resiste a disparos de armar calibre 22 e 38, que são as mais comuns nas ruas, mas não as únicas. Não protege contra calibres mais elevados. O motorista precisa conhecer e identificar a arma que o bandido está usando antes de decidir se arranca o carro, o que é praticamente impossível de se fazer durante um assalto.
2 A espessura de vidro é de 17 milímetros e a das chapas de aço, 2 milímetros. Tem oito camadas de fibra de aramida. O carro fica 95 quilos mais pesado, mas resiste à maioria das armas leves. Algumas empresas de blindagem já incluem neste nível a cinta protetora dos pneus. R$ 30.00,00 para um Palio Resiste a armas de calibre 9 milímetros e à Magnum 357. Em casos de sequestros, crime para o qual os bandidos usam armas de maior porte, ela é inócua. Se o motorista quiser se proteger contra isso, tem de optar por uma blindagem maior, que custa apenas 20% a mais.
3 O vidro tem entre 18 e 21 milímetros de espessura. A lataria é recheada com chapas de aço de 3 milímetros e dez camadas de fibra de aramida. Os pneus são envolvidos numa cinta de metal ou de fibra de náilon. O tanque de combustível é revestido de aço. O carro ganha 130 quilos. R$ 36.00,00 para um Vectra Resiste dos disparos de armas de mão de todos os calibres incluindo pistolas 9 milímetros e Magnum 44. O aumento do peso deixa o carro mais baixo e menos potente do que o normal. Por isso, o veículo não pode trafegar com muitos passageiros nem com bagagem.
4 É o nível máximo permitido no Brasil, mas requer autorização do Exército. É comum em carros-fortes. O vidro tem 37 milímetros de espessura e a lataria pode ser revestida com cerâmica, aço, fibra de aramida e de vidro. O piso ganha o mesmo reforço. O carro fica 700 quilos mais pesados. R$ 190.00,00 para uma Cherokee É quase um bunker ambulante. Resiste a tiros de fuzil AR 15 e FAL, que podem chegar a atingir uma velocidade de 850 metros por segundo. A primeira é o valor, altíssimo. A segunda é o aumento de peso  que obriga a trocar a suspensão e os freios, alterando muito a configuração original do veículo. O tempo de frenagem aumenta e o desempenho fica comprometido.