• Renault Kangoo - Foto 1
    Renault Kangoo - Foto 1
  • Renault Kangoo - Foto 2
    Renault Kangoo - Foto 2
  • Renault Kangoo - Foto 3
    Renault Kangoo - Foto 3
  • Renault Kangoo - Foto 4
    Renault Kangoo - Foto 4
  • Renault Kangoo - Foto 5
    Renault Kangoo - Foto 5
  • Renault Kangoo - Foto 6
    Renault Kangoo - Foto 6
  • Renault Kangoo - Foto 7
    Renault Kangoo - Foto 7
  • Renault Kangoo - Foto 8
    Renault Kangoo - Foto 8
  • Renault Kangoo - Foto 9
    Renault Kangoo - Foto 9

O ano de 2014 impactou de forma significativa o setor automotivo. A obrigatoriedade de airbags frontais e freios ABS em todos os modelos de automóveis produzidos no Brasil acarretou na extinção de alguns veículos. Entre eles, a cinquentona Kombi, que liderou durante décadas as vendas no segmento de furgões no país. E o vácuo deixado pelo fim de sua produção do “pão de forma” da Volkswagen logo acirrou a disputa entre outras marcas. Com o momento propício, a Renault aproveita para lançar a linha 2015 do Kangoo. A marca francesa aposta em sua capacidade de carga de 800 kg – a maior da categoria – e também no preço mais baixo entre modelos os que oferecem porta lateral corrediça, a partir de R$ 41.850. Valor apenas R$ 1 mil a mais que o Kangoo sem esse opcional. 

A confiança da Renault em seu furgão pequeno na briga pela “herança” da Kombi pode ser justificada nos resultados conquistados recentemente. Vice-líder em vendas no segmento em 2012, o Kangoo fechou 2013 com 17,5% de “share”. Esse número representa um crescimento de 4,7% se comparado ao ano anterior. Foram 5.562 unidades emplacadas no ano passado. Entre as furgonetas de carga, perdeu para a Fiorino, que fechou 2013 com 12.434 unidades. Já a Kombi chegou a emplacar 25.221 carros em 2013. Um número expressivo demais para não ser disputado.

Para entrar nessa competição, o Kangoo agora só está disponível na versão de carga. Foram extintos no Brasil os modelos de passageiros, que chegaram anteriomente a ter opções de cinco ou sete lugares. O carro ganhou a nova identidade visual da Renault, com a logomarca francesa exposta com mais evidência na grade frontal. Os para-choques, que eram pretos, agora são pintados da cor do veículo. Esteticamente, a mudança que mais chama atenção fica mesmo por conta da porta corrediça opcional na lateral direita do compartimento de carga. Antes presente apenas nos modelos destinados ao transporte de passageiros, agora ela serve para auxiliar o acesso à mercadoria transportada. Além desta facilidade, o furgão conta ainda com portas assimétricas na traseira, sendo a esquerda maior que a direita, que possibilitam ângulo de abertura de 180°.

Baú do Kangoo 2015

Por dentro, o modelo continua simples, seguindo o padrão adotado pela maioria dos veículos de trabalho. Os bancos ganharam novos tecidos. O painel de instrumentos e os revestimentos de portas vêm em tonalidade escura, cinzenta, e poucos são os recursos de conforto para quem vai guiar o carro.  O motor é o mesmo 1.6 16V Hi-Flex de antes, capaz de atingir 98 cv quando abastecido com etanol e 95 cv com gasolina no tanque. Já seu torque máximo, de 15, 3 kgfm com etanol e 15,1 kgfm  com gasolina, aparece em 3.750 rpm. Uma combinação que, aliada ao câmbio manual de cinco marchas, deu ao carro nota “A” em sua categoria no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular desenvolvido pelo InMetro e pelo Conama. De acordo com a aferição realizada, o Kangoo faz 6,1 km/l na cidade e 7,4 km/l na estrada com etanol e 9,0 km/l em perímetro urbano e 10,9 km/l em rodovias com gasolina. 

Na disputa pelas vendas no segmento, o Kangoo enfrenta o Fiat Fiorino. Porém, o atual líder de vendas entre os furgões comporta quase 20% menos carga, com 650 kg de capacidade. Completa, a furgoneta da Fiat custa R$ 46.757, mas com itens como vidros e travas elétricas, computador de bordo, faróis de neblina, banco do motorista com regulagem de altura, portas traseiras com vidros, sensores de estacionamento, rádio USB/MP3 e volante com regulagem de altura, que não estão presentes no Kangoo. Já o modelo da Renault, em sua configuração de topo sem a porta lateral, sai por R$ 45.550. Com a porta corrediça, esse valor sobe em R$ 1 mil. A Renault estima que 80% dos Kangoo vendidos saiam com a porta lateral corrediça opcional.

Interior do Kangoo 2015

Ficha Técnica

Renault Kangoo 2015

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência: 95/98 cv com gasolina e etanol a 5 mil rpm.
Aceleração 0-100 km/h: 13/12,5 s com gasolina e etanol.
Máxima: 159/161 km/h com gasolina e etanol.
Torque máximo: 15,1 kgfm/15,3 kgfm com gasolina e etanol a 3.750 rpm.
Diâmetro e curso: 79,5 mm X 80,5 mm.
Taxa de compressão: 10:01.
Suspensão: Dianteira do tipo McPherson com triângulo inferior, amortecedores hidráulicos, telescópicos com molas helicoidais e rodas independentes. Traseira com rodas independentes, braços arrastados e duas barras de torção transversais, amortecedores hidráulicos telescópicos e inclinados.
Freios: Discos ventilados na frente e tambor atrás com ABS.
Carroceria: Furgão em monobloco com duas ou três portas e dois lugares. Com 4,01 metros de comprimento, 1,67 m de largura, 1,86 m de altura e 2,60 m de distância entre-eixos. Tem airbag duplo.
Peso: 1.075 kg.
Pneus: 165/70 R14.
Capacidade do baú: 2.800 litros.
Capacidade de carga: 800 kg.
Tanque de combustível: 52 litros.
Produção: Córdoba, Argentina.
Itens de série: Ar quente, barras de proteção laterais nas portas, freios ABS, airbags frontais, portas traseiras assimétricas, regulagem elétrica dos faróis, relógio digital no painel, retrovisores externos com regulagem interna e vidros verdes.
Preço básico: R$ 40.850.
Opcionais: Ar-condicionado, direção hidráulica e porta corrediça lateral.
Preço completo: R$ 46.550.


Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Divulgação