Muitos especialistas de mercado afirmam que as montadoras estão passando por uma tendência em tentar tornar seus carros mais esportivos. Isso porque existe um nicho de mercado que está em pleno crescimento que são os jovens, que estão conseguindo ganhar mais dinheiro cada vez mais cedo, e portanto comprando seus carros mais cedo e investindo em modelos mais caros do que os tradicionais. Junto com esta tendência, as montadoras acreditam que grande parte destes jovens estão em busca de carros que tenham esta pegada um pouco mais radical.

Toyota Corolla XRS

Transformar um carro que não tem nenhuma vocação para ser esportivo pode ser uma faca de dois gumes. Deveria ser uma prática mais cautelosa por parte das montadoras, afinal de contas, realmente é uma mudança e tanto para os consumidores. Além disso, parece que as montadoras conseguiram achar uma fórmula certa que passou a ser replicada em diversos carros nesta metodologia de tornar os veículos um pouco mais radicais. No script estão geralmente a colocação de saias laterais, spoilers traseiros e faróis com máscara negra. Mas o grande problema é que as mudanças param no design externo e interno dos carros, mas acaba não chegando a parte de mecânica do veículo.

Este pode ser considerado o grande problema do novo modelo da Toyota que está chegando as concessionárias, o Corolla XRS. Ficou evidente o grande esforço que a montador afez para tornar o modelo mais esportivo possível. O grande problema é que o carro nunca teve esta vocação no seu DNA. O resultado acabou sendo uma mistura estranha entre diversos elementos de carros que pode acabar não agradando nenhum segmento de consumidor específico. Por fora o carro pode até passar uma ideia mais radical, mas os consumidores que comprarem o veículo pensando que estarão comprando um desempenho esportivo poderão se decepcionar bastante com este lançamento.

Itens de sobra

Uma das grandes vantagens do carro se comprado a outros veículos do mesmo segmento que estão sendo lançados nos últimos meses é a grande quantidade de itens que estão disponíveis para os motoristas. Isso porque esta versão já parte na XEi 2.0 (a terceira da hierarquia, à frente da básica XLi e da intermediária GLi, e abaixo da topo de linha Altis). Sendo assim os motoristas poderão encontrar no carro ar-condicionado digital, CD player com entradas USB e também auxiliar, computador de bordo com seis funções diferentes, controle de velocidade de cruzeiro, volante multifuncional, airbags frontais e laterais, faróis de neblina, acendimento automático dos faróis, espelhos retrovisores externos eletrorretráteis e com indicador de direção, entre outros.

Itens esportivos no Corolla XRS

Trata-se deum bom kit de itens para a versão nova do Corolla. Agora, em termos de design externos, com havíamos mencionado anteriormente, a montadora acabou seguindo a velha receita para tentar dar um pouco mais esportividade ao veículo. Portanto, os consumidores irão encontrar na versão XRS um novo aerofólio traseiro, faróis escurecidos, saias laterais, frontais e traseiras; e rodas pintadas de cinza. Um outro item tradicional e característico do modelo também passou por uma mudança de estilo, que foi a grade originalmente atravessada por duas barras, que passou a ter apenas um filete só. Na parte de dentro, em termos de acabamento, a montadora também fez algumas trocas, como o revestimento que deixou de apresentar aquele tom mais de cinza e agora tem predomínio do preto internamente. O volante tem um revestimento de couro com uma linha vermelha na costura que também pode ser encontrada nos bancos do veículo.

Todas estas modificações fizeram com que o preço do carro subisse em relação ao seu modelo anterior, sendo de acordo com as informações da montadora o veículo está custando R$ 73.030,00 nas concessionárias do Brasil inteiro.

Poucas mudanças mecânicas

Agora, se a montadora se preocupou muito em tentar passar uma cara mais esportiva no design interno e externo do carro, na parte mecânica e de desempenho os motoristas ainda encontrarão o velho e conhecido Corolla de sempre. Não que isso traga apenas pontos negativos, afinal de contas o carro sempre foi conhecido por ser muito fácil de se guiar, bem estável e com um excelente desempenho nos pisos mais irregulares. O motor encontrado neste anova edição é um 2.0 com 153 cavalos de potência. Se dependesse apenas do motor o carro realmente teria um desempenho nas pistas melhor do que o apresentado, mas um dos grande problemas enfrentados é a transmissão do veículo.

cOROLLA xrs

O motorista encontra um câmbio de quatro marchas, que apesar de cumprir o seu papel, não dá todo o fôlego necessário para que o carro consiga um embalo mais esportivo nas pistas. A montadora ainda fez uma escolha arriscada ao anunciar que não pretende lançar versões do carro com câmbio manual de seis velocidades, o mesmo que pode ser encontrado em outras versões, como a XLi e GLi. Portanto, neste ponto a montador pode ter perido a oportunidade de realmente conseguir dar uma pegada mais esportiva ao carro, não apenas em termos de visual, mas sobretudo quando o carro está andando nas pistas.