Uma alteração  na data limite para que todos os carros tenham um novo chip de identificação foi anunciada esta semana de acordo com as informações que foram divulgadas pelo órgão responsável pelo trânsito em nível federal, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Com a mudança que foi anunciada nesta última quinta-feira, as pessoas agora terão até o dia 30 de junho de 2015 para colocar os novos chips eletrônicos que deverão estar em todos os veículos para serem identificados.

Chip obrigatório fica para 2015

Na verdade, a mudança da data não foi feita pensando apenas na colocação dos chips nos carros, mas na verdade o principal motivo para que este prazo tenha sido estendido está relacionado a toda a infraestrutura relacionada a manutenção do sistema, que é cara e ainda não está conseguindo ser implantada de acordo com o cronograma inicial que tinha sido proposto junto em um acordo com todos os órgãos responsáveis por cuidar das questões de transito do Brasil. Em um primeiro momento, o prazo inicial para que todo o sistema de identificação estivesse em funcionamento era no dia 30 de junho de 2014, sendo que agora o novo prazo ganhou-se um ano para todas estas questões.

Prazos confusos

Apesar de ter fixado novamente uma data limite para que o sistema como um todo esteja funcionando no Brasil, parece que o projeto realmente está passando por sérias dificuldades no governo, já que não existe a definição de um calendário oficial para que as outras etapas de implementação deste novo sistema esteja funcionando. Ou seja, esta data limite que foi divulgada neste momento está relacionada ao dia que todos os carros precisam estar com os chips funcionando, mas  o Denatran ainda não especificou outras datas que também são muito importantes, como a partir de que momento a instalação destes identificadores começarão nos veículos em nível nacional.

Tudo indica que a instalação destes chips começará a partir do dia 1º de janeiro de 2013, sendo que esta data é a mesma que estava prevista no projeto inicial. Mesmo assim, muitas coisas ainda estão confusas em relação aos prazos que os motoristas terão para fazer esta instalação. Além disso, muito provavelmente o Denatran vai fazer uma divisão do agendamento, mas ainda não se sabe como vai funcionar os critérios para este tipo de agendamento.

Funcionamento do sistema

O novo sistema de identificação que estará valendo no Brasil a partir de 2015 é chamado de Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (SINAV). Todo este novo controle foi pensado com o objetivo de monitorar constantemente a circulação de veículos através de um esquema de radiofrequência. A peça chave para que este sistema funcione individualmente em cada carro é justamente a colocação destes chips em cada um dos veículos, que funcionam como uma espécie de carteira de identidade digital que será instalada em cada carro, sendo que esta informação será única para cada veículo.

Mas é claro que não adianta nada colocar apenas os sistemas de identificação no carro se não houver um veículo que permite com que todas estas informações  sejam realmente processadas pelas e transformadas em informação que possa ser visualizada pelas pessoas. É por isso que além da colocação dos chips nos carros, é necessário também a instalação de antenas que consigam captar os sinais que são emitidos destes chips eletrônicos. Além das antenas é necessário também a instalação das centrais de processamento das informações e também dos demais sistemas informatizados que trabalham neste controle dos carros.

De acordo com as especificações técnicas que foram descritas neste projeto que foi aprvado pelo governo federal, os chips que serão colocados dentro de cada carro fucnionarão como uma placa eletrônica, contendo as mesmas informações que estão na placa física, mas que só podem ser visualizadas por contato visual, seja pelo meio das fotos que são tiradas pelos sistemas de controles ou ainda pelo contato visual direto dos agentes de trânsito responsáveis por controlar o tráfego. Com esta informatização das informações da placa, os dados do carro estarão disponíveis nestas centrais de tráfego, como modelo e placa do veículo.

No entanto, o projeto garante que todas as informações pessoais relacionadas ao motorista serão preservadas,, garante o serviço se Registro Nacional de Veículos (RENAVAM). O projeto prevê ainda que todas as antenas que serão instaladas com o objetivo de formar esta rede de controle de tráfego serão instalada em pontos estratégicos das cidades com o objetivo de recolher as informações dos veículos que passam pelos locais. As antenas não terão a capacidade de cobrir todas as cidades, mas elas terão capacidade de cobrir uma área maior do que as atuais formas de controles eletrônicos que são limitadas a uma pequena área onde o veículo passa por perto.

Cada estado terá uma central responsável por juntar todas as informações que são registradas pelas antenas, e depois desta informação reunida elas serão repassadas por uma central nacional que vai centralizar os dados. As informações que serão coletadas pelas antenas poderão ser utilizadas para controlar os carros que estão sendo roubados em uma determinada área, por exemplo, ou ainda poderão controlar automaticamente o serviço de pagamento de pedágios em determinadas áreas. O Denatran garante também que os veículos novos sairão de fábrica já com o chip, mas também não especificou uma data para isso.