Este ano pode ter sido bom para as pessoas que queria comprar um carro novo, afinal de contas com as reduções dos impostos promovidas pelo Governo Federal os preços dos carros novos caíram consideravelmente. Isso também fez com que os preços dos carros usados caíssem, na medida que as pessoas acabaram comprando mais carros novos enquanto que os estoques dos carros mais antigos passaram a ficar cada vez mais cheios, obrigando as empresas a baixarem os preços dos veículos.

Seguro de carro vai ficar mais caro em SP

Por outro lado, o ano não foi muito bom para as pessoas que já possuem um carro e que precisam arcar com as despesas que a posse de um veículo impõe. Além dos impostos terem subido e do preço médio do combustível que é cobrado nas grandes cidades, os motoristas também terão que pagar mais pelo seguro do carro, pelo menos no estado de São Paulo, mas a tendência realmente deve ser de subida em outros estados também. Na estado de São Paulo, a média de aumento do preço do seguro do veículo deverá ficar entre 2% e 5%. A informação foi divulgada no início desta semana pelo Sindicato dos Corretores de Seguro e de Empresas Corretoras de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP).

De acordo com as informações que fora repassadas para imprensa pelo presidente da entidade, Mário Sérgio, o aumento dos preços deverá ocorrer após os fechamentos dos resultados trimestrais das seguradoras, que geralmente acabam sendo divulgados em dezembro, e os aumentos deverão terminar de ser repassados para os clientes até o mês de fevereiro de 2013, sendo que este aumento poderá ser gradual ou poderá ser colocado nas parcelas todo de uma vez. É muito provável que grande parte das empresas deixem realmente para passar os aumentos o mês de fevereiro.

O presidente da Sincor-SP explica que os motoristas não conseguem perceber o aumento logo no início do ano porque as seguradoras vão ajustando os preços veículo por veículo, em cada bairro e cada idade. Isso porque como a maioria dos motoristas sabem, as informações relacionadas a marca, modelo e também localização dos veículos acabam influenciando diretamente no preço final que as pessoas precisam pagar nas suas mensalidades de seguro. Apesar desta “demora” para repassar os aumentos de preço, até fevereiro toda as seguradoras já deverão estar com suas mensalidades ou parcelas reajustadas.

Capital com seguro mais caro

De acordo com as pesquisas que foram realizadas pelo departamento estatístico do Sincor-SP com corretores e algumas das maiores seguradoras do mercado, na cidade de São Paulo o aumento do preço dos seguros de um modo geral terá como motivo o aumento das sinistralidades na cidade. Na capital o aumento médio das parcelas dos seguros de todos os carros devera ficar entre 5% e 7%. Na verdade isso geralmente acontece todos os anos, já que é justamente na capital que estão concentrados a maior parte dos sinistros (roubos e acidentes) do que nas cidades do interior. Mas muitas cidades da região metropolitana de São Paulo também deverão receber um aumento parecido com o que está sendo registrado na cidade de São Paulo.

Os motoristas que possuem carros populares também deverão sentir uma fisgada maior no bolso, já que grande parte dos roubos acontecem justamente com este tipo de carro. Mas o aumento nestes casos por parte das seguradoras não deverá ultrapassar os 10%, de acordo com as informações da equipe de Sérgio. Um outro problema que também foi enfrentado pelas seguradoras neste semana foi a redução da taxa Selic, que passou dos 12,5% para os  7,25% em um período de um pouco mais de um ano, o que deverá prejudicar um pouco os resultados que serão entregues pelas seguradoras neste final de ano. E com esta queda nos lucros as empresas tendem a repassar ainda mais percentual para as parcelas dos motoristas.

Mas afinal de contas o que a redução da taxa Selic tem a ver com quanto o brasileiro paga pelo seguro do seu carro? De acordo com Mário Sério, isto acontece porque de acordo com a atual legislação que regulamenta as atividades das seguradoras no Brasil inteiro, as empresas são obrigadas a fazer aplicações em títulos do governo com o dinheiro que fica reservado para ser usado pelo nos sinistros. Mas com a queda da taxa, estes títulos começam a valer menos para as empresas, e isso também pode pressionar o aumento dos preços repassados ao consumidor na tentativa de suprir estas perdas.

Dicas para economizar na hora da compra do seguro

Para que este aumento não fique tão caro para os motoristas, confira algumas dicas que poderão ajudar na escolha correta para renovação do seguro:

É muito importante que o motoristas faça uma boa pesquisa de preço, que pode ser feita até mesmo pela internet. Evite cair no esquema da renovação automática, principalmente se o aumento for muito alto;
É importante que se faça uma pesquisa com diferentes seguradoras e corretores, porque os valores das comissões que são pagas ou cobradas por estes profissionais também variam e podem fazer uma boa diferença;
Confira ao certo toda a cobertura que a empresa e fique atento principalmente as franquias  que devem ser pagas pelos motoristas em caso de algum sinistro. Muitas pessoas acabam contratando os planos mais baratos na hora, as esquecem que depois geralmente destes as franquias acabam sendo as mais altas, o que pode realmente tornar o seguro algo que fique inviável de se utilizar quando mais se precisa dele.
Uma condição que merece atenção por parte dos motoristas na hora de fazer a contratação do seu seguro é o carro reserva. Geralmente a melhor opção é não utilizar os carros reservas, que acabam tornando o carro mais caro. Prefira sempre andar de carona ou de transporte público no período que vai ficar sem carro.