Os moradores de grandes cidades mundiais possuem uma relação de amor e ódio com as frotas de táxis, e consequentemente com os taxistas. Não é incomum ouvirmos as pessoas reclamarem que não existe frota suficiente, principalmente nos dias de chuva, para todos. Além disso, geralmente os passageiros reclamam das condições dos carros, que não apresentem o nível de conforto que poderiam apresentar pelo preço cobrado da corrida. Mesmo assim, eles são imprescindíveis e necessários. No Brasil, a frota está crescendo na capital e os passageiros estão percebendo que cada vez mais chegam carros diferenciados para compor a frota de taxis na região.

Taxis Elétricos

Na cidade de São Paulo, a maior da América Latina em termos de circulação de automóveis, e consequentemente no número de táxis, a grande novidade está entre a frota de elétricos que passa estar disponível para os motoristas. No começo foram apenas dois modelos Nissan Leaf importados do Japão e cedidos pela marca para as empresas frotistas de táxis na cidade, mas recentemente houve um aumento desta frota e mais carros da mesma marca estão circulando na cidade. Todos estes carros elétricos circulando na frota de táxi fazem parte do projeto piloto chamado Táxi Elétrico que nasceu, com o objetivo de disseminar essa modalidade, de um convênio entre a prefeitura, a Nissan, a AES Eletropaulo e a Associação de Empresas de Táxi de Frota do Município de São Paulo (Adetax).

De acordo com representantes de empresas que fazem parte desta parceria que possibilitou que as frota de elétricos na cidade de São Paulo conseguisse circular oferecendo serviço de táxi para as pessoas, o investimento feito foi em mais de 1 milhão de reais na instalação de todo o sistema. Uma boa parte deste investimento em infraestrutura foi feito pela AES Eletropaulo, empresa responsável pela geração e pela distribuição de energia elétrica para a cidade de São Paulo. É a empresa que será responsável por administrar os postos de recargas dos carros elétricos, sendo que o tempo estimado de recarga total é de 6 horas nestes postos.

Motoristas experientes

Na primeira etapa de implantação do projeto dos táxis elétricos na cidade de São Paulo as empresas, em parceria com as frotas, selecionaram dois motoristas  experientes e gabaritados para conduzirem os veículos pelas ruas da capital paulista. Estes motoristas acabaram ganhando um treinamento todo especial para que o projeto realmente desse certo, até porque o veículo possui algumas diferenças na hora da condução. Além disso, os condutores também estão tendo contato direto com a Nissan para que eles possam tirar as principais dúvidas que possam surgir durante a condução do carro e também para relatar diretamente a montadora qualquer problema que o veículo possa ter. Além do projeto ter como objetivo principal permitir que os motoristas e passageiros de táxi tenham a possibilidade de andar em um carro elétrico, o projeto também deseja começar a tornar a ideia dos carros elétricos mais popular por aqui.

Frota de elétricos está crescendo em São Paulo

Mas para que estes carros se tornem populares por aqui será necessário um grande planejamento urbano envolvendo as três esferas do governo para conseguir trazer os carros para o Brasil com um preço mais acessível, diminuindo os custos dos impostos, além de reservar dinheiro para a instalação dos pontos de recargas, essenciais para manter a frota elétrica circulando pelo Brasil.

Autonomia

Apesar de ser uma das principais preocupações na hora de dirigir um carro elétrico, a energia elétrica que move os modelos da Nissan que estão sendo utilizados como Táxis na cidade de São Paulo  tem autonomia para rodar até 160 m quando estiver quando a bateria completamente carregada, o que atenderia bem qualquer paulistano que roda em média 50Km por dia. Mas, para aqueles que fazem do carro seu próprio negócio, essa autonomia pode ser pouca. "Se a média de quilometragem ultrapassar esse limite, os postos de recarga rápida resolverão", diz José Antonio Nunes, 67 anos, um dos escolhidos para pilotar a novidade.

Interior do Nissan elétrico

Os motoristas que estão circulando com os táxis elétricos que foram ouvidos estão satisfeitos com os novos veículos. No primeiro momento é até um pouco estranho para os motoristas que estão acostumados a ouvirem um motor convencional de carro o dia inteiro, já que o carro elétrico praticamente não emite barulho nenhum vindo do motor.

Os motoristas ressaltam que além da economia que sentem diretamente no bolso ao andarem no veículo que não precisa ser abastecido e nem depender do GNV, este modelo elétrico da Nissan apresenta um nível de conforto muito satisfatório. O taxista gastava 50 reais por dia com combustível e agora vai desembolsar apenas 8 reais, uma economia de 84%, sem falar na manutenção, também menor em relação a modelos com motor a combustão.