Foi anunciado esta semana que a montador Toyota teve que entrar em um acordo para indenizar consumidores que se sentiram prejudicados por causa das convocações para recalls de alguns modelos da montadora. Segundo as informações que foram repassadas pela empresa para imprensa, o valor total de todas as indenizações que serão paga par aos consumidores pode chegar a US$ 1,1 bilhão. O motivo seria que estes proprietários se sentiram  prejudicados porque seus carros perderam valor de mercado devido as convocações de recall feitas pelas montadora.

Toyota terá que pagar US$ 1 bilhão em indenização aos clientes

O acordo que foi assinado pela montadora ainda precisa da aprovação de um juiz na Califórnia. O processo foi gerado a partir de uma série de ações movidas de consumidores indignados com os valores finais de seus veículos no momento da revenda depois das convocações de recall. Todas estas manutenções que foram feitas no carro ocorreram entre 2009 e 2010, sendo eu todos eles estavam relacionados a problemas de segurança nos automóveis que deveriam ser consertados. Segundo as informações que constam nos autos do processo movido que acabou se transformando em uma ação coletiva, foram 16,3 milhões de carros da montadora que acabaram sendo atingidos. Todos estes motoristas acabaram alegando que se sentiram prejudicados no valor da revenda dos carros, que caiu muito por causa destes problemas apresentados pelos veículos.

Megarrecalls

Durante dois anos seguidos, em 2009 e 2010, a Toyota acabou laçando no mercado norte-americano dois megarrecalls no mundo inteiro devido a problemas de aceleração involuntária que poderia ser encontrada em diversos modelos da montadora, o que poderia realmente provocar riscos de acidentes para os motoristas e também para os passageiros dentro do carro. O recall teve que ser feito inclusive no Brasil. O primeiro ocorreu devido ao travamento do pedal do acelerador em virtude de uma má-instalação do tapete do carro no lado do motorista.

Já no ano de 2010 a fabricante novamente teve que vir a público para convocar seus consumidores a comparecerem a um novo recall, desta vez devido a problemas no pedal do acelerador de alguns modelos, sendo em alguns casos o pedal poderia ficar preso e bloqueado, devido ao excesso de fricção. Em cerca de 2 milhões de unidades, esse defeito era concomitante ao problema no carpete. Todos estes problemas que aconteceram nestas duas ocasiões acabaram ocasionando uma série de ações na justiça por parte dos motoristas, já que os valores de revenda dos carros da marca que forma atingidos por este problema tiveram o seu valor de revenda despencando.

Como a justiça Norte-americana acabou recebendo a maior parte destas ações na justiça, acabou se constituindo uma ação em grupo única contra a montadora, que achou melhor entrar em um acordo com os consumidores do que dar prosseguimento com as ações individuais, porque caso ela perdesse poderia ter uma grande prejuízo, muito maior do que o valor que terá que ser pago caso este acordo seja homologado pelo juiz.

Além dos valores de indenização que serão pagos aos consumidores que compraram os carros que estiverem presentes nestas chamadas, o mesmo acordo prevê também que a montadora instale em todos os carros um sistema de freios de emergência em cerca de 3,2 milhões de veículos. A montadora também está oferecendo aos seus consumidores um programa de garantis estendida, mas que vale apenas aos atuais proprietários que estiverem contemplados no processo, já que para os novos consumidores este plano de garantia não será oferecido.

Segredos

A Toyota acabou se enrolando tanto nestes problemas em relação aos sistemas de segurança destes carros que também acabou aceitando um outro acordo, desta vez com o governo dos Estados Unidos, mas pagar uma multa recorde no valor de US$ 17,35 milhões (cerca de R$ 36 milhões na cotação do dia). O mais interessante foi o motivo que levou ao acordo. A multa foi paga pela montadora para que ela não precisasse revelar as informações relacionadas ao defeito de segurança no tempo determinado pela justiça.

A penalidade se refere ao recall de 154.036 unidades dos modelos Lexus RX 350 e RX 450h, em junho passado, também em virtude de problemas no tapete, que poderia forçar o pedal do acelerador. Trata-se de maior multa nos EUA por esse tipo de infração. A justiça, com o recebimento desta multa, acabou não fixando um prazo para que estas informações fossem tornada pública, o que provavelmente vai fazer com que o problema caia no esquecimento. Não se sabe se a montadora não revelou o problema por não saber do que se tratava ou não quis revelar para não prejudicar ainda mais os resultados da empresa.

Ainda correm na Justiça americana processos contra a montadora por morte e ferimentos em virtude dos problemas de aceleração involuntária.