• Fiat Linea Absolute - Foto 1
    Fiat Linea Absolute - Foto 1
  • Fiat Linea Absolute - Foto 2
    Fiat Linea Absolute - Foto 2
  • Fiat Linea Absolute - Foto 3
    Fiat Linea Absolute - Foto 3
  • Fiat Linea Absolute - Foto 4
    Fiat Linea Absolute - Foto 4
  • Fiat Linea Absolute - Foto 5
    Fiat Linea Absolute - Foto 5
  • Fiat Linea Absolute - Foto 6
    Fiat Linea Absolute - Foto 6
  • Fiat Linea Absolute - Foto 7
    Fiat Linea Absolute - Foto 7

A Fiat decidiu reposicionar o seu sedã Linea 2015 no mercado. O modelo, lançado em 2008, foi planejado para disputar espaço entre os sedãs médios. Mas nunca chegou a fazer frente, de fato, aos concorrentes desta categoria. A plataforma, a mesma do compacto Punto, gera um espaço interno coerente com o de  modelos menores. Mesmo que seu entre-eixos, de 2,60 metros, fosse semelhante ao de alguns automóveis da época – caso do antigo Toyota Corolla. Mas ocorre que todos os sedãs todos cresceram – hoje têm 2,70 m de entre-eixos – e o Linea ficou evidentemente para trás. Com isso, a marca italiana adotou uma nova estratégia: preparou o carro para “brigar” contra os compactos superiores, vistos como premium no Brasil. Para formar esta imagem, a versão de topo Absolute é fundamental, mesmo que responda por apenas 20% dos emplacamentos.

Esteticamente, o carro tem mudanças sutis em relação à linha 2014, mas que fazem diferença. Ganhou novos para-choques, faróis de neblina redesenhados, grade frontal, rodas de liga leve e tampa do porta-malas. A grade se modernizou com as barras horizontais cromadas. Aliadas ao “V” também cromado inserido no para-choque dianteiro, transmitem certa sofisticação à frente do carro. Na traseira, o para-choque foi reformulado e, agora, passa a impressão de se tratar de um veículo maior e mais robusto. A tampa do porta-malas redesenhada incorpora o porta-placa e destaca a grafia “Linea” de seu puxador cromado.

Desenho do Linea ainda é atual

Mas é por dentro que se notam as principais alterações. O painel frontal é todo novo, importado do Punto, e, na versão Absolute, chega na composição de cores bege e preto. No painel, a parte inferior é em plástico bege. Mesmo tom usado no revestimento em couro de parte das portas. Ali também há friso na cor cobre e maçanetas em preto brilhante. Os bancos têm revestimento parcial de couro com costuras bege e logomarca micro perfurada. O novo quadro de instrumentos tem iluminação branca, assim como os comandos dos vidros elétricos, rádio e de ar-condicionado. E uma luz guia em leds cria uma sutil borda iluminada no painel frontal e nas portas, que é percebida apenas à noite.

O motor é sempre o 1.8 16V de 130/132 cv e torque de 18,4/18,9 kgfm com gasolina/etanol no tanque. O trem de força é completado pela transmissão automatizada de cinco marchas, com possibilidade de trocas manuais a partir de aletas no volante. Na versão Essence, a transmissão é apenas manual. A lista de itens de série do Linea Absolute é extensa. Já sai de fábrica com volante multifuncional em couro, sinalização de frenagem de emergência, regulagem elétrica dos faróis, computador de bordo, faróis de neblina, banco traseiro bipartido, ar-condicionado automático digital com saída para os ocupantes traseiros, computador de bordo, controlador de cruzeiro, vidros, travas e retrovisores elétricos, direção hidráulica, chave canivete com telecomando, sensores traseiros de estacionamento com visualizador gráfico e sistema de áudio baseado no Windows Mobile, operado por comandos de voz, com porta USB e Bluetooth. O preço é de R$ 66.450

Como opcionais, ainda é possível adquirir sensores crepuscular e de chuva, retrovisor eletrocrômico, airbags laterais e de cortina, sistema de áudio com navegador GPS e som hi-fi com subwoofer, que fazem o preço pular para R$ 72.234. Um valor que poderia se justificar pelo pacote de tecnologia e conforto que oferece. Mas está longe de combinar com um sedã com o porte do Linea.

Detalhe da lanterna traseira

Ponto a ponto

Desempenho – O motor 1.8 16V de 132 cv tem um comportamento dinâmico bem interessante. Responde rapidamente às pisadas no acelerador, mesmo em giros mais baixos – o torque máximo de 18,4/18,9 kgfm com gasolina/etanol no tanque só aparece às 4.500 rpm, mas a faixa de trabalho é razoavelmente plana. O Linea se mostra valente em retomadas e trechos de subida. Mesmo quando carrega quatro passageiros. Nota 8.

Estabilidade – Como a maior parte dos sedãs, o Linea tem a suspensão ajustada para proporcionar conforto aos passageiros, mas mantém também um bom compromisso com a estabilidade. Além de absorver bem os impactos causados pelos buracos típicos das ruas brasileiras, se mantém com as quatro rodas fincadas ao chão. Há rolagens na carroceria à medida em que as curvas são feitas em velocidades maiores, mas em nenhum momento o modelo ameaça ignorar os comandos do motorista. Nota 8.

Interatividade – O Linea Absolute tem todos os comandos em lugares previsíveis. O som tem botões em excesso, mas as principais funções são acessadas a partir do eficiente volante multifuncional. E o câmbio dualogic de cinco marchas conta com paddle-shifts para trocas manuais, o que aumenta a diversão de quem prefere dirigir com mais controle sobre a transmissão. Nota 8.

Consumo – O Fiat Linea não participou do Programa de Etiquetagem do InMetro. Durante a avaliação, o modelo registrou média de 6,9 km/l na cidade, abastecido com gasolina. Nota 6.

Conforto – O couro que reveste parcialmente os assentos, portas e volante tem um toque agradável e imperfeições do asfalto quase não são sentidas pelos ocupantes. O isolamento acústico é bom. O espaço interno não é dos mais generosos. O entre-eixos de 2,60 metros não permite que os ocupantes traseiros desfrutem de muita folga. Nota 7.

Interior do Fiat Linea Absolute

Tecnologia – A configuração Absolute sai de fábrica com volante multifuncional, sinalização de frenagem de emergência, regulagem elétrica dos faróis, computador de bordo, ar-condicionado automático digital, controle de cruzeiro, sensores traseiros de estacionamento com visualizador gráfico e sistema de áudio com comando de voz, porta USB e Bluetooth. Ainda aceita como opcionais sensores crepuscular e de chuva, retrovisor eletrocrômico, navegador GPS, som hi-fi com subwoofer e quatro airbags extras, além dos frontais obrigatórios. Nada mal para quem procura um carro que alie conforto e segurança a um bom custo/benefício. Nota 8.

Habitabilidade – Os porta-objetos são pequenos, mas abrigam carteira, celular e outros itens. O porta-malas é capaz de carregar bons 500 litros e essa capacidade pode ser estendida com o banco traseiro rebatido. O ângulo de abertura das portas é bom e é fácil entrar e sair do veículo. Nota 7.

Acabamento – O revestimento de bancos e da área de toque nas portas é em couro. Há uma quantidade razoável de plástico, mas de boa qualidade e não há folgas aparentes nos encaixes. O uso de preto e bege no interior tenta emprestar uma atmosfera de requinte ao habitáculo, mas este tipo de combinação não é unanimidade. À noite, o contorno em led que ilumina o painel frontal dá charme e um toque de luxo à cabine. Nota 8.

Design – O Linea é um carro com visual um tanto quanto comportado. Sem contar que suas formas mudaram muito pouco desde que foi lançado, em 2008. Com isso, a impressão que se tem ao olhar para ele é a de que se trata de um modelo antigo, próximo à época de ganhar uma nova geração. Coisa que a discreta renovação visual indica que não vai acontecer em menos de dois anos. Nota 6.

Custo/benefício – O Ford Fiesta sedã Titanium 1.6 PowerShift, com transmissão automatizada de dupla embreagem, custa R$ 63.290. Ele não tem GPS nem como opcional, mas traz airbag de joelho, assistente de rampa e controle eletrônico de tração e estabilidade. Já o Honda City, na configuração top EX traz motor 1.5 com transmissão automática de cinco velocidades e começa em R$ 64.990. Mas é bem desfalcado em equipamentos: faltam airbags laterais e de cortina, GPS, sensores de luz e chuva. O Linea é o mais potente de todos e até tem uma boa lista de equipamentos, mas completo custa salgados R$ 72.234. Nota 5.

Total – O Fiat Linea Absolute somou 71 pontos em 100 possíveis.

Desenho lateral do Fiat Linea

Impressões ao dirigir

A linha 2015 do Linea Absolute alia requinte e charme à cabine do sedã. O contraste do bege com o preto dos materiais, a presença do acabamento metalizado em cobre na porta e o contorno em leds que envolve o painel à noite chamam a atenção. A ideia é tentar passar a impressão de se estar em um automóvel superior. Os bancos revestidos parcialmente em couro com microperfurações são bem confortáveis e, uma vez que se instala atrás do volante, é bem simples e rápido encontrar uma posição agradável para dirigir.

O motor 1.8 E.torQ não tem dificuldades para mover os 1.325 kg do veículo, mas também não há sobras. O torque de 18,4 kgfm com gasolina no tanque até aceita uma tocada um pouco esportiva, principalmente em regime de giros mais altos. Um ponto, porém, causa certa irritação: o entrosamento – ou a falta dele – entre o motor e sua transmissão automatizada Dualogic Plus de cinco velocidades. É preciso pegar o tempo da transmissão e aliviar levemente a pressão no acelerador na hora da mudança de marcha. Caso contrário, cada troca será marcada por um “soluço”.

Na versão Absolute, o sedã impressiona pela farta quantidade de itens de série. O volante multifuncional, por exemplo, facilita bastante a vida de quem deseja aproveitar ao máximo o sistema de som e a conexão Bluetooth com um celular. O computador de bordo permite calcular consumo médio de dois trajetos distintos e o ar-condicionado é automático e digital. Além disso, ainda há uma saída traseira, o que acelera a climatização de toda a cabine. Manobrar e estacionar se tornam tarefas bem simples com os sensores traseiros de estacionamento, que ainda têm uma representação gráfica no painel.

Por outro lado, a distância entre-eixos de 2,60 metros não gera uma linha longitudinal muito generosa para a ocupação do habitáculo. É uma medida muito apequenada diante do comprimento de 4,58 m. E basta abrir o capô e notar o espaço que sobra entre o conjunto mecânico e a grade dianteira do carro para se pensar que uns bons 20 centímetros poderiam ser reduzidos sem prejuízos práticos.

Sob o capô do Fiat Linea

Ficha técnica

Fiat Linea Absolute

MotorGasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.747 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Injeção eletrônica multiponto e acelerador eletrônico
TransmissãoCâmbio automatizado com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Não oferece controle de tração
Potência130 cv com gasolina e 132 cv com etanol a 5.250 rpm
Torque máximo18,4 kgfm com gasolina e 18,9 kgfm com etanol a 4.500 rpm
Aceleração 0-100 km/h10,3 segundos com gasolina e 9,9 s com etanol
Velocidade máxima190 km/h com gasolina e 192 km/h com etanol
Diâmetro e curso80,5 mm x 85,8 mm
Taxa de compressão11,2:1
SuspensãoDianteira independente do tipo McPherson, com braços oscilantes fixados em subchassi e barra estabilizadora. Traseira com rodas semi-independentes, com barra de torção e barra estabilizadora integrada. Não oferece controle de estabilidade
Pneus205/50 R17
FreiosDiscos ventilados na frente, discos rígidos atrás e ABS com EDB
CarroceriaSedã em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,58 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,50 m de altura e 2,60 m de entre-eixos. Tem airbags frontais. Airbags laterais e de cortina opcionais
Peso1.325 kg
Capacidade do porta-malas500 litros
Tanque de combustível60 litros
ProduçãoBetim, Brasil
Lançamento mundial2007
Lançamento no Brasil2008. Face lift: 2014
Itens de sérievolante multifuncional em couro, sinalização de frenagem de emergência, regulagem elétrica dos faróis, airbags frontais, freios ABS, computador de bordo, faróis de neblina, banco traseiro bipartido, Follow me home, apoia-braço central traseiro, desembaçador do vidro traseiro, My Car Fiat, controlador de cruzeiro, travas elétricas, retrovisores externos elétricos, direção hidráulica, vidros elétricos dianteiros/traseiros com one touch, volante com regulagem de altura/profundidade, chave canivete com telecomando, rádio CD com MP3 integrado ao painel e porta USB, porta-óculos, rodas de liga de 15 polegadas, ponteira de escapamento cromada, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, ar-condicionado automático digital, bancos revestidos parcialmente em couro, sistema Blue&Me, cortina para-sol no vidro traseiro, rodas de liga leve de 17 polegadas e tapetes com bordado Absolute
Preço66.450
OpcionaisSensores crepuscular e de chuva, retrovisor eletrocrômico, airbgas de cortina e de janela, Blue&Me com navegador GPS e som hi-fi com subwoofer
Preço completoR$ 72.234

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias