• Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 1
    Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 1
  • Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 2
    Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 2
  • Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 3
    Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 3
  • Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 4
    Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 4
  • Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 5
    Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI - Foto 5

Um dos artifícios usados pelas fabricantes para conseguir elevar as vendas de um modelo é apostar na variedade de versões. É por aí que a Chevrolet consegue ganhar mercado para a S10. A líder de vendas do segmento de picapes médias tem nada menos que seis versões, com duas opções de motorização e de tração. Nessa lista, a variante LT cabine dupla com motor diesel e tração 4X4 é a segunda na “hierarquia” da gama de picapes, abaixo apenas da topo de linha LTZ. Por R$ 114.190 com câmbio manual  – cerca de R$ 25 mil a menos que a LTZ –, ela oferece um pacote que inclui equipamentos importantes de série. Um dos mais relevantes é a valentia para encarar tanto trabalho pesado, com caminhos tortuosos e muita lama. De quebra, a S10 LT ainda proporciona algum conforto para levar as crianças na escola ou ir ao supermercado.

A versão é animada pelo motor diesel de 2.8 litros turbo CTDI que rende bons 200 cv a 3.600 rpm e 44,9 kgfm a 2 mil giros. Acoplado a ele, um câmbio manual de seis marchas, renovado na linha 2014, apresentada ainda em setembro de 2013. A transmissão foi modificada para tentar diminuir o nível de aspereza do conjunto e teve as marchas reescalonadas, a fim de aproveitar melhor a força do motor. Ainda há opção pelo câmbio automático, também de seis relações, que eleva em R$ 4.100 o preço da picape. Com ele, o torque é elevado aos 51 kgfm. Independentemente da transmissão, o desempenho é compatível com o segmento: aceleração de zero a 100 km/h em cerca de 12 segundos e máxima de 180 km/h limitada eletronicamente.

Detalhe da Lanterna Traseira

O visual é basicamente o mesmo de qualquer S10 de cabine dupla e pouca coisa indica a versão LT. Por fora, apenas as rodas de liga-leve em 16 polegadas – em vez das de 17 da LTZ – mostram que se trata de uma S10 mais simples. As linhas robustas e bem resolvidas do modelo se mantém, com a frente alta e faróis algo pequenos, mas que formam um pacote esteticamente agradável. A ausência também de cromados na carroceria deixam a picape com um ar mais rústico, condizente com o potencial do modelo. É um veículo grande, com 5,34 m de comprimento e 3,09 m de entre-eixos, que chama atenção mais por isso do que por algum arroubo de design. Atrás, toques estudadamente rústicos, como as lanternas verticais grandes e o enorme logo da Chevrolet ao centro da tampa da caçamba.

O interior também é outro ponto onde se nota o jeito simples do modelo. Os revestimentos são similares aos de um carro de entrada, sem opção por couro nos bancos ou superfícies emborrachadas no painel – algo que depõe contra os R$ 114.190 pedidos pelo modelo com câmbio manual. Ainda que itens como ar-condicionado, trio elétrico, direção hidráulica, o sistema MyLink e até controlador de velocidade de cruzeiro sejam de série, o conjunto ainda é um tanto espartano em relação ao valor cobrado. A S10 LT diesel 4X4 ainda é mais cara que a principal rival, a Ford Ranger XLS, que consegue os mesmos 200 cv de um cinco cilindros diesel e custa R$ 112.690. A Nissan pede mais contidos R$ 108.190 por uma Frontier SV Attack e a Mitsubishi ainda oferece uma L200 Triton GLS por R$ 101.900.

Impressões ao dirigir

Logo ao assumir o comando da S10 LT, a cabine deixa claro de que se trata de uma versão mais simples da gama. Há equipamentos interessantes, como o MyLink – igual ao de Onix e Prisma e com menos funções que o aparelho da versão LTZ –, e itens de conforto como conjunto elétrico e ar-condicionado. Mas a atmosfera expressa pelos bancos em tecido e o painel cinza, todo em plástico rígido, é quase a de um veículo de trabalho. Os ruídos e trepidações do motor diesel, sempre presentes, reforçam esse aspecto mais “proletário”. Ao menos, tudo é bastante funcional. Os principais comandos são praticamente à prova de erros e bem posicionados. O único mimo é o controlador de velocidade de cruzeiro, facilmente acionado pelos botões no volante. A cabine também é espaçosa e bem iluminada, sensação reforçada pelo revestimento claro usado no interior.

Frente da Chevrolet S10 LT

Um motor 2.8 litros turbodiesel de 200 cv não poderia ter mesmo qualquer dificuldade para movimentar a picape. Os 44,9 kgfm de torque estão disponíveis por inteiro a 2 mil rotações e conseguem dar à S10 um desempenho bastante convincente. Apenas abaixo de 1.500 giros sente-se uma sutil indefinição do trem de força, sensação ligeiramente acentuada pelo curso longo do acelerador, que demanda uma “pisada” com mais decisão para tirar a caminhonete da inércia – o “efeito colateral” é fazer ecoar um ronco quase intimidador ao redor da picape. O câmbio manual de seis marchas é bem escalonado e aproveita bem a força do motor, mas tem engates um tanto duros – ainda que precisos. A transmissão exige mãos firmes e que conduzam a alavanca em cada troca.

A direção com relação desmultiplicada e a altura da carroceria desencorajam qualquer tipo de condução muito entusiasmada – ainda que o motor até tenha força para tal. A S10 inclina sem muita cerimônia em curvas mais fechadas e os pneus cantam, acusando um limite de estabilidade bem justo. Ainda assim, respeitadas as características do modelo, a S10 dificilmente dará algum susto no motorista, mesmo sem controles eletrônicos de estabilidade e tração – presentes somente na “top” LTZ.

Traseira da Chevrolet S10 LT

Ficha técnica

Chevrolet S10 LT 2.8 CTDI diesel

MotorDiesel, dianteiro, longitudinal, 2.776 cm³, turbo, com intercooler, com quatro cilindros em linha e 16 válvulas. Injeção direta e acelerador eletrônico
TransmissãoCâmbio manual de seis marchas à frente e uma atrás. Tração integral com seletor eletrônico rotatório
Potência máxima200 cv a 3.600 rpm
Aceleração 0-100 km/h10,3 segundos
Velocidade máxima180 km/h
Torque máximo44,9 kgfm à 2 mil rpm
Diâmetro e curso94,0 mm X 100,0 mm
Taxa de compressão16,5:1
SuspensãoDianteira independente, com braços articulados, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e pressurizados e barra estabilizadora. Traseira com feixe de molas semielípticas de dois estágios e amortecedores hidráulicos e pressurizados
Ângulo de ataque30,7º
Ângulo de saída16,1º
Pneus245/70 R16
CarroceriaPicape montada sobre longarinas com quatro portas e cinco lugares. Com 5,34 metros de comprimento, 1,88 m de largura, 1,82 m de altura e 3,09 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais de série
Capacidade da caçamba1.061 litros
PreçoR$ 114.190

Autor: Igor Macário (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias