• Ford Ranger XLS Sport - Foto 1
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 1
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 2
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 2
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 3
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 3
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 4
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 4
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 5
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 5
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 6
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 6
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 7
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 7
  • Ford Ranger XLS Sport - Foto 8
    Ford Ranger XLS Sport - Foto 8

Os brasileiros gostam mesmo de um apelo “aventureiro”. Tanto que as vendas de SUVs e picapes não param de subir. Entre as picapes médias, por exemplo, os emplacamentos praticamente dobraram de 2008 para cá: pularam de 92 mil/ano para 181 mil em 2013. E a Ford foi uma das que melhor aproveitou esse aumento, principalmente depois de 2012, com a chegada da nova geração da Ranger. De lá para cá, o modelo passou de 15 mil para 22 mil emplacamentos por ano. Um resultado que consolidou o terceiro lugar na categoria, atrás de Chevrolet S10 e Toyota Hilux. Agora, a montadora aposta para crescer ainda mais com a nova Ranger Sport, versão que tem apelo esportivo e preço mais acessível: ela custa R$ 67.990 e não tem opcionais. 

A Ranger Sport se diferencia da básica XLS pelo aplique no para-choques dianteiro em plástico preto, faróis de neblina, santantônio, faixas laterais, adesivo “Sport” nas caçamba e rodas de liga leve. Detalhes que a marca acredita serem capazes de conquistar um público mais jovem e urbano, que queira um carro para transportar, principalmente, equipamentos esportivos como motos off-road, pranchas de surfe, asas-delta ou coisas do gênero. A boa capacidade da carga, de 1.800 litros e até 1.455 kg, reforça a vocação. 

Sob o capô, a versão carrega o motor 2.5 flex de 173/168 cv a 5.500 rpm e torque de 24,8/24,1 kgfm aos 4.250/3.750 giros com etanol/gasolina no tanque. Ele trabalha em conjunto com uma transmissão manual de cinco velocidades e tem bloco em alumínio e comando variável de válvulas. Em relação a equipamento, a Ranger Sport traz o básico: ar-condicionado, direção hidráulica, diferencial traseiro deslizante, travas, vidros e retrovisores elétricos, volante multifuncional, airbags frontais, rodas de liga leve de 17 polegadas, sistema de som com rádio, CD, MP3, USB/iPod, Bluetooth e tela de LCD no painel central de 4,2 polegadas e controle de cruzeiro. Na alça de mira, está a Chevrolet S10 2.4 flex, que custa R$ 2 mil a menos, mas é menos potente e é bem menos equipada.

Ford Ranger XLS Sport

Primeiras impressões

O mundo é visto de cima de dentro de uma Ford Ranger. E seu 1,81 metro de altura transmite certa sensação de poder à picape média fabricada na Argentina. Entrar e sair dela é tarefa complicada para pessoas idosas ou com algum tipo de limitação locomotora. Até que não tem, aliás, sente dificuldade. Mas uma vez instalado no banco do motorista, é bem fácil encontrar uma posição agradável de direção. 

O motor bicombustível faz jus ao tamanho da picape – são 5,35 metros comprimento. O 2.5 litros com 173 cv quando abastecido com etanol move seus 1.743 kg com eficiência. Saídas de sinal não impressionam, mas o torque máximo de 24,8 kgfm/24,1 kgfm disponível aos 4.250/3.750 giros com etanol/gasolina favorece retomadas e ultrapassagens. Só o câmbio manual de cinco marchas incomoda um pouco, já que seus engates, embora precisos, são bem duros.

Interior da Ford Ranger Sport

Um dos pontos de destaque da Ranger é a estabilidade – e, consequentemente, conforto. É claro que, por não se tratar de um carro de passeio, uma ou outra trepidação é sentida na cabine. Mas são sutis. Já nas curvas, rolagens de carroceria são mais nítidas em velocidades elevadas. Porém, nada que transmita insegurança ao condutor. 

Por outro lado, alguns detalhes deixam a desejar na versão esportiva da Ranger. O isolamento acústico é escasso e o interior, apesar dos materiais de qualidade e sem rebarbas aparentes, tem aspecto simples demais. Fora isso, manobrar e estacionar o veículo são tarefas complicadas. A ausência de uma câmera de ré ou meros sensores de estacionamento dificulta a vida. E piora com a tradicional má visibilidade traseira de picapes.

Comendo poeira com a Ford Ranger Sport

Ficha técnica

Ford Ranger Sport

MotorA gasolina e etanol, dianteiro, longitudinal, 2.488 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e sistema de abertura variável de válvulas. Injeção e acelerador eletrônicos
TransmissãoCâmbio manual com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração traseira. 
Potência máxima168 cv com gasolina e 173 cv com etanol a 5.500 rpm
Torque máximo24,1 kgfm com gasolina a 3.750 rpm e 24,8 kgfm com etanol a 4.250 rpm
Diâmetro e curso89,0 mm X 100,0 mm
Taxa de compressão9,7:1
Suspensãodianteira independente com molas helicoidais e amortecedores a gás. Traseira com eixo rígido, feixes de molas e amortecedores a gás. Barras estabilizadoras na frente e atrás
Pneus265/65 R17 ATR
Freios Discos ventilados na frente e tambores atrás. ABS, EBD, assistente de frenagem de emergência e controle de frenagem em curvas
CarroceriaPicape com carroceria sobre longarinas, com duas portas e dois lugares. Com 5,35 metros de comprimento, 2,16 m de largura, 1,81 m de altura e 3,22 m de distância entre-eixos. Duplo airbag frontal
Peso1.743 kg, com 1.455 kg de carga útil
Capacidade da caçamba1.800 litros
Tanque de combustível80 litros
ProduçãoGeneral Pacheco, Argentina
Itens de sériear-condicionado, direção hidráulica, diferencial traseiro deslizante, trava elétrica das portas, alarme, volante multifuncional, faróis de neblina, controle de cruzeiro, retrovisores externos com ajuste elétrico, rodas de liga leve, santantonio, vidros elétricos, sistema de som com rádio AM/FM, CD Player MP3, USB/iPod, Bluetooth e tela de LCD no painel central de 4,2 polegadas
PreçoR$ 67.990

Autor: Márcio Maio (Auto Press)
Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias